Páginas

30 de julho de 2013

Sharknado - O filme tosco do ano



Um tornado de tubarões famintos causa horror e destruição na cidade de Los Angeles (!!!). Sim, esta é a absurda trama de Sharknado (2013), filme exibido este mês no canal Syfy e que teve bastante repercussão nas redes sociais na semana de sua estreia. Bom, com a falta de criatividade pairando sobre Hollywood que vem se mantendo praticamente de remakes, adaptações e sequências, dentro desse contexto, Sharknado merece até créditos por apresentar uma premissa original, ainda que imensamente bizarra e cômica.

O trash movie do ano foi produzido pela Asylum, estúdio responsável por produções de baixo orçamento, dessas que geralmente vão direto para as prateleiras das locadoras ou passam apenas na TV. É do estúdio também o sucesso Mega-Shark Vs Giant Octopus, filme B lançado em 2009. Pois é gente, perceberam como eles adoram tubarões. 

O que me admira é que os responsáveis por estas produções B na Asylum aceitam qualquer ideia que chegue aos seus ouvidos, seja ela a mais estapafúrdia.  A coragem e a ousadia desses produtores de tornar “real” qualquer ideia tosca e ilógica - o próximo “grande” lançamento do estúdio é Ghost Shark, sobre um tubarão fantasma (!!!) - é realmente admirável. Quem ganha com essas loucuras sem limites é o estúdio - que vem faturando muito alto com suas produções duvidosas – e claro, o público-alvo, acredite, longas do gênero possuem um imenso mercado consumidor dentro e fora dos EUA.

Cena mais WTF do filme. Você imagina o que vai acontecer né...

O filme? Ah, é uma tosqueira sem tamanho, uma sequência mal executada de situações absurdas, porém, hilárias e para não se levar muito a sério, não seja muito exigente. Suponho que se você vai alugar Sharknado, considerando a sinopse e a capa visualmente poluída, o intuito é se divertir e dar risadas, caso contrário, tenho muita pena de você se esperou algo hollywoodiano.

Bom, eu vi Sharknado e me diverti com os tubarões saindo de canais de esgoto, caindo do céu, invadindo casas, com a roda gigante assassina, mas fiquei tão chocado com a parte técnica e outros elementos que não posso deixar de falar aqui. Pra começar, duas sub-celebridades, Tara Reid (American Pie) e Ian Ziering (da longínqua série Barrados no Baile) são as protagonistas do filme e junto com todo o elenco, desfilam diálogos sofríveis durante todo o tempo – “Por que construíram uma casa de repouso perto do aeroporto? Porque eles não escutam bem” (!!!).  As cenas que mostra a cidade chuvosa e ventos fortes parece que foram cedidas pelo departamento de arquivo de algum canal de TV, evidenciando uma discrepância entre estas cenas e aquelas em que se vê o elenco.

Ian e Tara: Barrados por tubarões voadores.

Quanto aos efeitos especiais, bem, eles são precários (óbvio) e incômodos. Me incomodei mesmo com o mau uso do chroma key e a descontinuidade em alguma cenas. Gente, até Power Rangers tem efeitos melhores, orçamento baixo não é desculpa. Ah, sobre isso, os produtores revelaram ultimamente algo muito engraçado e um tanto inusitado, disseram que há uma versão do filme sem os efeitos especiais (!!!). Uau! Deve ser imperdível!

Ignorando estes detalhes tão irrelevantes, Sharknado diverte e faz jus à categoria de filmes B ao qual faz parte. A aventura fez tanto sucesso que vai ganhar uma sequência já no ano que vem.  Vale ressaltar, Sharknado atraiu a atenção não só por sua tosqueira abismal, mas por unir dois elementos da natureza que possuem um grande poder de atração ante as pessoas, tubarões e tornados. E adivinha só, já percorrem na internet cartazes de possíveis sequências do filme unindo tubarões com outras forças da natureza, Sharkalanche (um avalanche de tubarões) e Sharkcano (um vulcão cheio de ... você sabe), ideia interessante essa (rsrs). É criatividade demais né meu povo....

(!!!)

6 comentários:

  1. Hahuahuahuahuahuahahauh... sem cometários Sr Eliakim! Show!

    Bruno Paes

    ResponderExcluir
  2. Deve ser tão ou mais tosco que uma pérola chamada "Tubarão de Malibu" que passou várias vezes na tv a cabo este ano também.

    Abraço

    ResponderExcluir
  3. MINHA NOSSA! hahahaah!

    A indústria Trash ganha força a cada dia, e com o boca a boca vai se estendendo e filmes como esses logo se tornam "cults". rsrs

    Mas de longe dá pra ver que é tosco demais, e por isso mesmo deve ser divertido na mesma proporção.

    Vou ter que ver isso com meus próprios olhos.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Minha nossa......hahahahah!

    Preciso ver isso, por mais tosco que seja.
    Temos que admitir que os caras são criativos, ou muito loucos para terem ideias como essas..

    Abraço.

    ResponderExcluir
  5. E o pior é que a tosqueira teve bilheteria! É aquilo; É tão tosco que todo mundo quer ver! :D

    Bruno Paes

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...