Páginas

30 de dezembro de 2009

OS MELHORES FILMES DE 2009



QUEM QUER SER UM MILIONÁRIO? - O filme mais otimista do ano, com uma trilha sonora pegajosa, dançante, empolgante. 



DEIXA ELA ENTRAR - Um genuíno filme de vampiros. Obrigatório!


WATCHMEN - Filme de super-heróis para adultos com cenas fortíssimas de sexo e violência e com uma trama complexa. 


STAR TREK - J.J. Abraams pode fazer o filme de um cara lendo uma lista telefônica durante as duas horas de projeção, que mesmo assim, vai sair algo excepcional! Divertidíssimo, me tornei um trekker! 




DISTRITO 9 - Depois de muitas expectativas e segredos sobre o longa e uma campanha instigante e pesada na internet, Distrito 9 tornou-se sucesso de crítica e público. Bem merecido, um filmaço. É entretenimento e ainda faz uma dura crítica à sociedade.



SE BEBER, NÃO CASE - Há tempos não assistia a uma comédia tão divertida como esta. Um roteiro inteligente, personagens carismáticos e situações absurdas que resultarão em dores na mandíbula de tanto rir.



BASTARDOS INGLÓRIOS - Tarantino voltou. Ainda que o filme seja menos violento que seus antecessores, é uma obra do Tarantino. Cenas antológicas, diálogos inteligentes e responsável por revelar ao mundo o ator até então desconhecido Christopher Waltz , que interpreta de forma magnífica o temido coronel Landa, personagem que roubou todas as cenas em que apareceu e deve roubar ainda alguns troféus nas próximas premiações do cinema. Palmas para ele!

500 DIAS COM ELA (500 DAYS OF SUMMER) - Uma história de um cara que se apaixona por uma garota contada em fragmentos. Não espere um filme açucarado demais ou mais uma comédia bobinha com um final feliz, não se preocupe, a história tem um ótimo desfecho, mas consegue fugir das armadilhas do gênero por apostar na não-linearidade dos acontecimentos, a narração bem-humorada do protagonista, os efeitos gráficos presentes em algumas cenas e a linda sequência em que o protagonista sai cantando e dançando pela rua e logo todos começam a acompanhá-lo. Diferente, ousado, e com uma história tão real, que qualquer um pode se identificar com ela ou com o casal principal.


AVATAR - Inovador. Fantástico. Não preciso falar muito sobre essa obra de James Cameron. Depois de muito blá blá blá sobre a produção durante quase 10 anos, ela chegou e não decepcionou. Uma aventura inesquecível..

25 de outubro de 2009

Bastardos Inglórios

França, anos 40. É tempo de caça aos judeus. Um fazendeiro recebe a visita inesperada de um homem simpático, educado, bem humorado, ousado e dono de um incrível poder de persuasão. Este homem é o coronel Hans Landa. Mais conhecido como o "caçador de judeus". O diálogo entre os dois homens é longo. O fazendeiro está amedrontado, enquanto que Landa parece se divertir com a situação. O clima é tenso, vai ficando pior a cada palavra evocada pelo coronel.

A sensação que temos é que aquela conversa nao vai acabar da mesma maneira que começou. "Bingo!" È isso mesmo, algo trágico está por vir. Esta é a primeira cena do novo filme de Quentin Tarantino, Bastardos Inglórios. Me refiro também a um dos muitos talentos do diretor: criar cenas longas com diálogos inteligentes, tensos, que geralmente resultam num final violento e surpreendente.
Outro talento de Quentin: sabe escolher muito bem seus atores. Quem é o ator que interpreta o temível coronel Landa e que se destaca  roubando a cena de outros atores? É o austríaco Christopher Waltz. Sua memorável interpretação jà lhe rendeu um fruto: prêmio de melhor ator em Cannes, este ano. Oscar para ele. É raro um vilão causar simpatia e raiva ao mesmo tempo.



Assim como seus outros filmes, Bastardos é feito de várias histórias paralelas no qual os personagens serão unidos somente num final apoteótico: há os soldados bastardos, encabeçado pelo Tenente Aldo Raine (Brad Pitt) que adoram caçar nazis e escalpelar suas cabeças. Shossana, que é judia, dona de um cinema e única sobrevivente de um massacre que matou toda a sua família. Tem também o soldado nazi que se apaixona por Shossana e escolhe o cinema dela para a estreia de seu filme, onde estarão presentes os mais poderosos nazistas como Goebbs, Cel. Landa e claro, Hitler. Tudo isso e muito mais se resolve num final explosivo, arrebatador, vibrante, violento. O destino final de Hitler e de seus companheiros é bem mais empolgante do que aquele existente nos livros de história.


5 de outubro de 2009

Distrito 9

LEITURA PARA HUMANOS E NÃO-HUMANOS!

Já vi tantos filmes e seriados retratando os alíens e sua chegada (geralmente catastrófica) à terra de tantas formas diferentes que nem imaginei uma abordagem mais "original" sobre o tema. São milhares de longas cuja a premissa bàsica é: "aliens caçam seres humanos", e é surpreendente que em tantos anos, ninguém pensou em inverter os papéis. Bom, alguém apareceu, Neill Blomkam, este é o nome da figura que construiu um filmaço sobre a premissa invertida "humanos caçam aliens". A ideia genial de Neil nos apresenta a um mundo no qual os alienígenas sofrem abusos diários dos humanos, são violentados e roubados pelas autoridades, e são trancafiados em uma zona pobre de Johannesburgo, na África do Sul. Pronto! Nesse contexto, é inevitável torcer contra os seres humanos. Me refiro à DISTRITO 9, um dos melhores filmes do ano.

É o primeiro trabalho do diretor, que convenhamos, começou muito bem. É  ficção cientifica com toques de documentário, trilha de documentário, atores desconhecidos, o que só aumenta a sensação de realidade transmitida pela fita. Distrito 9 começa com relatos de pessoas que tiveram contatos com os langostinos (como são conhecidos os visitantes), moradores da favela falam sobre a relação tempestuosa com os intrusos, agentes do governo comentam como eles chegaram alí 20 anos atrás, desnutridos e indefesos, e que por alguma razão a nave-mãe não é capaz de se movimentar.

Resultado: os ets terão que viver em uma terra estranha, se alimentar apenas de comida de gato e do lixo produzido por humanos, sendo violentados, tendo suas armas tecnologicamente mais avançada que a nossa, roubada pelos figurões de grandes empresas para o intuito, claro, de ganhar dinheiro, e tendo que viver sob alvo de discriminação e de pedras (interessante, Mario Vargas Llosa conta algo parecido em seu livro Israel-Palestina: Paz ou guerra Santa).



Enfim, se tornam seres inferiores porque foram privados de auxilio á saude, comida, lugares decentes para viver, são esquecidos pelo governo. Algo semelhante ocorre com alguns povos do planeta. É praticamente a nossa realidade, mas somos inferiores a qualquer tipo de ser vivo que exista pois marginamos e discriminamos os indivíduos de nossa própria espécie! Que vergonha! Como um excelente produto do gênero, Distrito 9 é entretenimento, mas também é uma dura crítica à nossa sociedade.


Apesar de o roteiro seguir rumos previsíveis, não é o suficiente para tirar o brilho do filme. O personagem principal Wikus, interpretado pelo novato Sharlto Copley, é tão carismático que até nos angustia ver seu personagem trilhar caminhos tão inimagináveis e dolorosos. Os efeitos não decepcionam (Neil fez milagre com apenas 30 milhões de orçamento) assim como as cenas incríveis de ação. Uma fita ímpar. Já é de se esperar uma sequência, já criei expectativas imensas sobre ela e por qualquer outro futuro trabalho do diretor.

10 de setembro de 2009

SE BEBER, NÃO CASE!


Tenho medo de filmes de comédia e de terror. Acho que é porque nos últimos anos a originalidade, ou melhor, a falta dela, só nos trouxe filminhos de quinta categoria. As comédias se limitaram a parodiar outros longas e os filmes de terror, caíram na onda dos fantasmas cabeludos e das crianças pálidas que adoram infernizar os adultos. Ou seja, bombas que não valem nem a metade do ingresso.

Mas como toda regra tem sua exceção. Finalmente surge um bom filme de comédia que conseguiu escapar destas armadilhas,  Se beber, não Case! (The Hangover). Um dos melhores filmes do ano e não vi um filme tão engraçado assim desde…esquece! A história pode parecer clichê: quatro amigos vão a Las Vegas fazer uma despedida de solteiro para o amigo que vai casar, mas a noite acaba mal, ou melhor, péssima. No dia seguinte eles acordam, um está sem dente, tem um tigre no banheiro, uma galinha na sala, e um dos amigos (justo o noivo) está desaparecido e ninguém se lembra de nada.

Prepare-se para situações hilárias e absurdas, e se una ao grupo de amigos para descobrir o que realmente aconteceu. Esta é a grande sacada do filme, o diretor Todd Philips fez algo muito inteligente, fez com que o público simultaneamente com os personagens montem o tal quebra-cabeça e optou por deixar a tal noite regada a sexo, drogas e rock n roll de fora, e desse modo, o diretor sabiamente salvou a produção de ser mais um filme de comédias de amigos festejando adoidados e tal….já existem muitos exemplares assim não é? Mas nao se preocupe, vamos saber o que realmente acontece nessa noite selvagem.

Enfim, um roteiro inteligente, elenco afinadíssimo, personagens carismáticos, e o melhor, é de gargalhada fácil, o filme mais divertido do ano, uma grata surpresa!

22 de agosto de 2009

O Mundo fantástico de Avatar

Sam Worthington é um paraplégico que vai à Pandora.

A Twenty Century Fox elegeu o dia 21 de agosto como o "Dia Avatar" pois em mais de 300 salas pelo mundo exibiu 20 minutos do novo filme de James Cameron, Avatar.

E eu, obviamente estava presente em uma dessas salas 3D contemplando a prévia dessa obra de ficção científica que promete revolucionar, quer dizer, jà revolucionou a história do cinema.


Bom, mas por que tanta expectativa em torno desse filme?


Há vários motivos. Cameron está trabalhando há mais de 4 anos na produção, mas a ideia ele ja tinha na cabeça há muito tempo, bem antes de ser o responsável pelo naufrágio do maior navio do mundo mais de 10 anos atrás, ele só estava esperando a tecnologia ser capaz de acompanhar a sua imaginação. E a tecnologia 3D chegou, James começou a trabalhar e hoje o sonho virou um espetáculo visual deslumbrante jamais visto antes no cinema.


Outro motivo é que se trata simplesmente do visionário (sim, esse é o adjetivo certo pra ele) James Cameron, criador de ícones do cinema como Alíen e Exterminador, pelo filme de ação mais bacana dos anos 90, True Lies e claro,  fez 99% do planeta ir aos cinemas ver o barco Titanic afundar.


Isto é Pandora, perigoso, porém maravilhoso!


Antes de ver a prévia de Avatar, pensei que 20 minutos seria muita coisa, pensei exatamente ao contrário apòs mergulhar no mundo fantástico de Pandora. É um mundo novo, com sua própria cultura, idioma, plantas, criaturas, um planeta cujos seres se chamam Navi, pelo qual os humanos nao gostam muito e travam batalhas épicas impressionantes.

Pandora é realmente de encher os olhos, e em pensar que tudo isso era apenas fruto da imaginação de Cameron. E que imaginação hein? Pois é, fiquei com um sensação de "quero mais" depois da prévia de 20 minutos, mas apenas nos resta esperar até dezembro, uma eternidade! Num ano de blockbusters decepcionantes (exceto por Star Trek) Avatar promete valer por todos os filmes que deixaram a desejar.

18 de julho de 2009

Selton Mello, a bunda e o cheiro do ralo

Um filme esquisito, cheio de personagens estranhos e entre eles um cara que se apaixona pela bunda de uma garçonete. Oi? É isso mesmo. Trata-se do interessante O Cheiro do Ralo, estrelado por Selton Mello.

O longa de 2007 não deve cair nas graças do grande público por vários motivos, a começar pelo título incomum, assim como a história: Lourenço (Selton) é comprador de objetos de colecionadores, coisas inúteis, velhas, tranqueiras de todo o tipo, tem uma vida deprimente, é solitário, egoísta e o fato de ele comprar objetos - e até mesmo pessoas - serve apenas para suprir esse imenso vazio que ele tem dentro de si. 

Lourenço ainda é perseguido pela sua ex-noiva histérica porque ele, o noivo, terminou o noivado a dias do casamento, mais exatamente quando os convites já estavam na gráfica. O único momento de felicidade do rapaz é quando vai a uma lanchonete ver o bumbum da garçonete, é amor à primeira vista.

Lourenço no momento mais esperado de sua vida

O local de trabalho de Lourenço é uma sala suja, sem cor, fria e fede. O mau cheiro que o personagem tanto fala para seus clientes vem do ralo e não dele. Hum, será? Pra mim, o ralo é o Lourenço, ou melhor, a sua vida que está indo ralo abaixo.

Não é um filme 'comercial', é um longa esteticamente feio, frio, tem nu frontal (a cena é bizarra) e tem uma história absurda, mas é por isso mesmo que torna O Cheiro do Ralo tão imperdível, divertido, estranho, original, sarcástico, uma experiência cinematográfica diferente de tudo que você já viu, principalmente em termos de cinema brasileiro. Vale uma espiada!

OBS.: Selton Mello, o diretor Heitor Dahlia e outros integrantes da produção bancaram todo o custo do filme, pois alguns patrocinadores não gostaram do título do filme, e só "cederiam" a grana se mudassem o nome. Isso sim é bizarro. 

O Cheiro do Ralo está disponível na íntegra no You Tube. Clique aqui e assista!

Assista ao trailer:



14 de junho de 2009

A Ficção Científica e os candidatos a cult de 2009




O gênero ficção científica é um dos meus preferidos. Em 2009 teremos muitos filmes do gênero aportando nos cinemas. Não, não estou falando dos arrasa-quarteirões Star Trek, Terminator: A Salvação e Transformers 2. Estou falando de pequenos filmes que custaram 10 vezes menos e têm a maior pinta de se tornarem ''cult'', como Blade Runner e Donnie Darko. Alguns longas como Sleep Dealer e Lunar, já passaram em festivais e arrancaram calorosos elogios da crítica. Vejamos alguns:

Lunar (Moon) - Está sendo chamado de o novo 2001: Uma odisseia no Espaço, exagero não? Sam Rockwell vive um astronauta que vai ao espaço numa missão solitária, vai passar três anos sozinho num ''nada'' dentro de sua nave. Um acidente acontece com uma outra nave e ele vai ao local do acidente e se depara com - adivinha - ele mesmo. Esse é realmente o próximo candidato a ''cult''. A direção é de Duncan Jones. O filme estreia em 12 de junho nos EUA.



Distrito 9 -  A trama desse filme está sendo guardada a trocentas chaves. O que se sabe é: na África do Sul, alienígenas chegam à Terra e são forçados a viver em campos de concentração longe da população. Mas parece que existe alguém (humano) que passa a defender os direitos dos ''visitantes''. Peter Jackson é o produtor. O que achou? Interessante, não? O filme deve chegar ao Brasil em outubro.



Sleep Dealer - Ficção científica com o tom político rodado no México. É isso mesmo. Foi muito elogiado no Festival de Sundance. A história se passa num futuro em que pessoas podem se conectar a uma rede de computadores mundial usando buracos no próprio corpo (Matrix?) que se ligam ao seu sistema nervoso. Os EUA construíram um muro por toda a fronteira do México, mas permitem que mexicanos possam trabalhar lá através da tal rede, controlando robôs dentro da América. Dirigido por Alex Rivera. Confira o trailer do candidato a cult.



Mr. Nobody -  Este filme é francês e belga. Em um futuro não muito distante, Nemo Nobody (Jared Leto) tem 120 anos de idade, é o último mortal a conviver com as pessoas imortais. Durante esse período, ele relembra os seus anos reais e imaginários de casamento. O filme chega aos cinemas europeus em outubro. E já estão o comparando com O Curioso Caso de Benjamim Button. Veja o trailer.

15 de maio de 2009

Star Trek (2009)

Todo mundo já sabe e se não sabe está sabendo agora devido ao lançamento do filme STAR TREK, que este mesmo foi uma série de muito sucesso no anos 60, gerou vários outros seriados e que desde aquela época vem se tentando fazer um filme decente e que seja fiel ao mundo trekker.

Mas eis que surge uma ideia brilhante da Paramount de dar um novo fôlego à franquia, recomeçar do zero, com a difícil missão de agradar os trekkers (como os fãs se auto denominam) e também os jovens de hoje, gerando novos admiradores. Difícil missão, mas percebemos que não foi impossível, porque J.J. Abrams conseguiu isso e muito mais.

Um elenco perfeito!

O elenco jovem é um dos grandes destaques do filme Chris Pine (Capitão Kirk), Zachary Quinto (Spock), Karl Urban (McCoy) e muitos outros esbanjam talento, carisma e competência em cena. Os efeitos especiais são de outro planeta, as cenas de ação eletrizantes (destaque para a cena em que Kirk criança dirige um carro freneticamente em direção a um precipício ouvindo sabotage dos Beastie boys), um roteiro enxuto, uma direção segura que não deixa o espectador nem ousar pensar em outra coisa enquanto assiste ao filme.Nunca gostei e nem tive vontade de ver a série ou um dos filmes dos tripulantes da Enterprise, Star Trek (ridiculamente chamada de Jornada nas Estrelas), até agora. E o mérito maior é para o J J. Abrams, que também é responsáveis por outras maravilhas da TV como Lost, Alias, Fringe, e do cinema (Cloverfield, filme bacana/surpresa do ano passado). 

Desde que fiquei sabendo que ele seria o diretor da ressurreição da franquia, sabia que coisa boa viria, acertei e já me considero um trekker! Aliste-se na frota estelar! Além de ser o melhor filme do verão americano até o momento – Wolverine decepcionou e parece que Anjos e Demônios não agradou os críticos –  e um dos melhores do ano. Uma aventura deliciosa.

19 de abril de 2009

Deixa Ela Entrar


Vocês já devem ter percebido que sou fanático por vampiros né, é só dar um look nos posts. E em razão disso, não posso deixar de fazer um comentário rápido sobre um dos melhores filmes do ano passado -  não é Crepúsculo. Me refiro ao longa sueco que foi exibido somente em festivais aqui no Brasil, o terror Deixe Ela Entrar.

Resumindo, a historia é sobre Oskar, um menino de 12 anos que é constantemente atormentado pelos garotos da escola. Sua vida muda completamente quando ele conhece a sua nova vizinha Eli, uma vampira que tem a mesma idade dele. Eles se tornam amigos e descobre também que ela pode ser letal quando está com sede de sangue.

Uma obra-prima, um filme de vampiros originalíssimo, arrebatador e diferente de todos os outros que já feitos. No próximo ano, Deixe Ela Entrar vai ganhar uma refilmagem americana, não esperem muita coisa, mas o lado bom é que, assim como aconteceu com REC, que teve um remake chamado Quarentena, podemos ter a chance de contemplar esse filmaço sueco nos cinemas nacionais quando a versão americana for lançada!


Clique aqui e assista ao trailer de Deixe Ela Entrar!

NA NATUREZA SELVAGEM

Ninguém tem dúvida do talento do Sean Penn como ator - ganhou merecidamente o Oscar de melhor ator esse ano pelo seu personagem gay em Milk. Mas ele ainda não era reconhecido como um bom diretor, pois teria feitos trabalhos medianos atrás das câmeras como Acerto Final e A Promessa. Isso é passado. Em 2007 ele mostrou ao mundo que realmente tem dotes de cineasta com o poético Na Natureza Selvagem (Into the Wild).


Sem lenço e sem documento.

O filme é baseado em fatos reais e foi adaptado do livro de Jon Krakauer que conta a história de um jovem que sai pelo mundo em busca de si mesmo. Chis McCandless Junior vivido pelo ator Emile Hirsch (que esteve recentemente nas telas com Speed Racer) é um jovem que depois de se formar com notas altíssimas que poderiam até cursar Direito em Harvard, o jovem cansado do materialismo e do casamento disfuncional dos pais decide entrar em contato com a natureza e viver a liberdade plena.

Se desfaz do carro, põe fogo no dinheiro, destrói os documentos e parte para o Alaska. Durante o caminho ele adota um novo nome: Alexander Supertramp, que em português significa superandarilho, conhece hippies, fazendeiros, aprende muitas coisas, como caçar e tirar a carne dos animais recém abatidos, vive de bicos e carrega consigo apenas o essencial.


O longa começa com o jovem já no Alaska e aos poucos é mostrado a sua relação com os pais e sua irmã, a vida de sua família depois de seu desaparecimento e as aventuras pelo qual ele passa até chegar no seu destino final. A trilha espetacular composta por Eddie Veder, líder do Pearl Jam casa muitíssimo bem com as belas imagens da natureza. Na Natureza Selvagem tem um tom poético diferente de qualquer outro filme que eu tenha assistido.

É emocionante, uma experiência incrível, graças à direção ousada de Sean Penn e à interpretação magnífica, hipnótica e em certos momentos, assustadora de Emile Hirsch. Um dos melhores filmes da década.

22 de março de 2009

Watchmen - O filme




Watchmen, a história em quadrinhos que muitos consideram a "bíblia’" das HQs agora também está nos cinemas. Nunca li a versão em quadrinhos, mas fiquei encantado com a adaptação cinematográfica,  garanto que até os fãs mais exigentes não têm do que reclamar. O que não posso dizer daquelas pessoas que não conhecem a obra e entram no cinema com a ideia de ver um filme de super-heróis convencional. Watchmen - O filme não é tão fácil assim.



Não sei se é certo chamar Espectral (linda), Coruja, Comediante, Ozzymandias, Rorschach e Dr. Manhattan de super-heróis, pois eles não tem os poderes do Quarteto Fantástico ou X-Men, (com exceção do Dr.Manhattan, que devido a um acidente nuclear criou–se uma entidade de cor azul com alguns poderes) mas são seres humanos mascarados que cometem erros, sentem raiva, ódio, desejos sexuais, são pessoas solitárias cuja vontade de ajudar a sociedade infelizmente é menor do que a vontade dela de compreender que os mascarados estão ali para ajudar.

lEspectrall

A história é um nó que aos poucos vai se desatando, e o diretor Zack Snyder não se apressa muito em fazer isso. Talvez por isso muitas pessoas saíram dos cinemas na metade do filme (acho que pensaram que fosse uma cópia de X-Men rs). Após uma brilhante e dramática abertura, somos guiados ao apartamento do Comediante, que após uma briga super violenta (uma das melhores cenas do filme) com um sujeito misterioso é jogado pela janela do edifício.

O enigmático, intocável e indestrutível Rorschach (virei fã dele, é mau até a medula e protagoniza as melhores cenas e as mais violentas da produção, é muito sangue derramado por ele) avisa aos amigos que alguém está matando todos os super-heróis, mesmo eles estando em ‘"aposentadoria" e disfarçados de pessoas normais. Mas o que vai tirar os vigilantes das "férias" é a iminência de uma guerra nuclear envolvendo os EUA e a URSS: ano 1985, época da Guerra Fria.


Rorschach


Como Érico Borgo disse em seu artigo, Watchmen não é uma experiência que deve ser digerida de uma só vez, é o tipo de obra que merece amadurecimento e análise. Ele tem razão. E por isso já deve ser chamado de cult. É um filme ousado e corajoso assim como o seu diretor que bateu o pé e impediu que a obra fosse transformada em mais uma aventura juvenil. Ufa! Snyder conseguiu, realizou um drama adulto de primeira, uma aventura violenta e empolgante, mesmo que grande parte do público não estejam preparados para essa experiência.

20 de fevereiro de 2009

QUEM QUER SER UM MILIONÁRIO?

O filme obrigatório da temporada! Uma fábula sobre esperança e perseverança!



Quem diria que um filme rodado na Índia e com atores desconhecidos fosse agradar a tanta gente ao redor do mundo, levar 4 prêmios no Globo de Ouro
(melhor filme, direção, roteiro, trilha sonora) e ser indicado a 10 Oscars? O nome do filme que está fazendo história se chama Quem quer ser um Milionário? (Slumdog Milionaire) do diretor mais versátil que existe, Danny Boyle.


O diretor adiciona à sua ótima filmografia - que inclui Trainspotting, Cova Rasa, Sunshine – Alerta Solar e Extermínio e vamos esquecer o seu único deslize, A Praia - uma história empolgante sobre esperança e perseverança.


Dev Patel interpreta Jamal Malik, um menino que junto com seu irmão cresceu nas favelas de Mumbai e que aos 18 anos está prestes a ficar milionário no programa Quem quer seu um Milionário?. Mas será que é possível um menino que morou nas ruas ter tanto conhecimento, será que ele está trapaceando? Muitos pensam que Jamal está blefando, ele é preso e é obrigado a explicar ao delegado cada resposta dada às perguntas do programa.


O filme é dividido em três momentos: a infância turbulenta de Jamal, o momento de seu depoimento ao delegado e por fim, a sequência do programa. Os cortes rápidos entre as três passagens faz de Quem quer ser um Milionário, um filme dinâmico, sempre empolgante, uma mistura de aventura, romance e drama combinados a uma eletrizante trilha sonora, uau e que trilha!

Uma curiosidade, os três atores mirins que interpretam quando criança, Jamal, Salim e o amor de toda vida dos irmãos, Latika, tiveram seus cachês depositados em um fundo, para serem retirados quando completarem 16 anos. E até os 16 anos, os produtores se prestaram a contratar um motorista que levará as crianças para a escola todos os dias. Só por esse generoso ato, Boyle e sua turma já merecem o Oscar.

Ah, e sabiam que todos os filmes indianos os atores dançam e cantam. É algo normal por lá. Boyle sabe disso e fez uma maravilhosa homenagem à Bollywood no desfecho do filme. Você vai sair do cinema cantando Jai Ho!

14 de fevereiro de 2009

O cult Donnie Darko



Depois de ter seu quarto destruído por uma turbina de avião, é isso mesmo, o adolescente Donnie Darko, que tambem é o nome do filme, começa a ter visões de um coelho monstruoso que o incita a fazer atos destrutivos, potencializando sua personalidade anti-social e excêntrica.

Para piorar, o coelho fala pra ele que o mundo vai acabar em poucos dias. Junte isso a uma professora conservadora que acha que tudo se resume em amor e medo, um guru fundamentalista, teorias de viagens no tempo, uma trilha sonora deliciosa dos anos 80 e mais um monte de fatos e personagens que se eu contasse, perderia toda a graça.


Jake Gyllenhaal está perfeito como o garoto problemático, aliás ele é um dos poucos atores jovens - senão o único - que teve seu trabalho reconhecido não por estrear comédias bobas adolescentes, mas por intensas atuações em filmes menores, a maioria deles sendo dramas, bons dramas. A partir desse cult, ele foi chamado para produções maiores, como o apocalíptico O Dia depois de Amanhã, que o tornou enfim um astro hollywoodiano e ainda recebeu elogios da crítica especializada e uma indicação ao Oscar pelo intimista e polêmico O Segredo de Brokeback Montain.


Donnie Darko é para ver, rever e rever de novo, pois o final deixa certas perguntas no ar, isso é o melhor do thriller, cada vez que você assiste terá uma teoria diferente e uma nova leitura para analisar.

O seu final emocionante é embalado pela música Mad World, de Tears for Fears, mas na voz de Michael Andrews, que fez a música parecer melhor que a original. Uma experiência bizarra, marcante, interessante e diferente.

Ah, e você vai olhar um coelho de um modo totalmente diferente após ver este filme!

9 de fevereiro de 2009

O retorno dos vampiros

2008 É O ANO EM QUE OS VAMPIROS SAÍRAM DAS SOMBRAS



O ano de 2008 reinventou, incrementou, redefiniu através de livros, filmes e seriados, um certo personagem mitológico que sai à noite para se alimentar de sangue humano. É ele mesmo, o Vampiro. A escritora Stephenie Meyer foi uma das responsáveis por essa "inovada" vampírica neste ano. Meyer com o seu romance Crepúsculo criou um vampiro mais humano, que se alimenta apenas do sangue dos animais, brilham como diamantes quando expostos ao sol, leem mentes, preveem o futuro. Esqueçam toda aquela balela de alho, cruz, água benta, estaca no coração, caixões, isso é passado, é coisa de novela da Globo.

Na série criada por Stephenie, os vampiros são pálidos, bonitos, jogam beisebol, estudam e se vestem perfeitamente bem (eles têm um senso fashion bem arrojado). E parece que os "normais’" gostaram dessa inovação, Crepúsculo e suas sequências literárias (Lua Nova, Eclipse...) são best-sellers em vários países. E a primeira adaptação do primeiro livro da saga, também está fazendo um enorme sucesso. Se nas páginas e na telona os vampiros adolescentes estão horrorizando, no bom sentido, o público ao qual essas obras se destinam, na telinha outros vampiros menos bonzinhos e mais adultos estão hipnotizando a audiência do canal HBO nos EUA, é a nova série TRUE BLOOD.

O casal sexy de True Blood!

Estrelada pela bela Anna Paquin (que ganhou merecidamente o Globo de Ouro de melhor atriz em série este ano por sua personagem Sookie), o show que foi renovado para uma segunda temporada, é violento, há muito sexo e cenas de nudez, tem uma trama bizarra, mas é engraçada, envolvente, tem a personagem mais carismática que apareceu na TV esse ano - a garçonete Sookie interpretada brilhantemente pela Anna -  em dez minutos você se apaixona por ela, e tem mais, TB é viciante, você assiste o primeiro episódio e não para mais.

Vamos ao enredo. Numa época (não se sabe qual) os japoneses criaram um a bebida chamada Tru Blood, eles chamam de sangue sintético, esse sangue fazem com que os vampiros deixem de desejar o sangue dos humanos. Os seres da noite tornam-se então, cidadãos comuns (alguns claro, sempre há aqueles revoltados e malvados), mas os humanos ainda não aprenderam a conviver com eles, o que gera muita preconceito por parte de algumas pessoas. É nesse contexto que Sookie, que tem o poder de ler mentes (isso mesmo!), se apaixona por um atraente vampiro que chega à cidade, apesar de todos os seus amigos se mostrarem contra o romance, ela está disposta a desvendar os mistérios desse vampiro.

True Blood está sendo exibida no Brasil pelo canal HBO. Como me viciei, já vi toda a temporada. Num ano em que a greve dos roteiristas atrapalhou o desenvolvimento criativo de muitas séries como Heroes, Prison Break e muitas outras, True Blood é uma "pérola" que surgiu este ano, criativa, bizarra, original, surreal, ousada. 

Sejam adolescentes vegetarianos ou adultos pervertidos sedentos por sangue, os vampiros são os seres mitológicos mais queridos do planeta e que será re-inventado ainda muitas e muitas vezes.

4 de fevereiro de 2009

Crepúsculo - Os vampiros do bem


Eles são pálidos, bonitos, jovens, frios, vivem isolados do restante dos "normais" e são aparentemente hostis. Curioso não? Garanto que se você visse alguém com essas características ficaria curioso em saber mais sobre esses seres de comportamento estranho. E foi essa curiosidade que levou a adolescente Isabella Swan a viver uma aventura surreal e se apaixonar pelo vampiro Edward Cullen.

Este é o tema central de Crepúsculo (Twilight), filme baseado no best-seller de mesmo nome que já vendeu mais de 25 milhões de cópias mundo afora. E o filme? Vai muito bem também, arrastando milhares de humanos às salas escuras e sombrias dos multiplexs ao redor do mundo.

Isabella é uma garota normal que vai morar com o pai na pacata e chuvosa cidade de Forks, matricula-se no colégio local e fica intrigada com os irmãos Cullen, pálidos, bem vestidos e tal. Edward é o que mais desperta seu interesse. No início, ela sente uma certa repulsa por parte dele, mas algo acontece e radicalmente muda a vida dos dois: Edward salva Bella de uma caminhonete desgovernada. E tudo começa assim, uma paixão arrebatadora e forte, mas também muito perigosa.

O filme não é melhor que o livro, mas tem pontos positivos. O casal de atores - Kristin Stewart e Robert Pattinson - foram escolhidos sabiamente. Eles formam um belo casal na tela e a química entre eles é indiscutível. A fotografia do filme, aquele cenário sombrio, ás vezes azulado, chuvoso, característico da cidade, encaixa-se perfeito para a trama, esse elemento está fiel ao livro. O longa deve agradar mais aos leitores da saga de Stephenie Meyer, para os que não leram, podem parecer apenas mais um filme de amor adolescente.

Crepúsculo é simples mesmo, os efeitos especiais são irregulares e os personagens não são tão bem desenvolvidos como no livro. Mas é uma boa adaptação, no qual o mais importante - você aceite ou não - é a reinvenção do ser vampírico, que foge da mesmice de estaca, cruz e caixões. 

31 de janeiro de 2009

O Curioso Caso de Benjamim Button


"A vida seria infinitamente mais feliz se pudessemos nascer aos 80 anos e gradualmente nos aproximarmos dos 18’’. Mark Twain

Acho que muitas pessoas já pararam para pensar nessa fantasia de nascer velho e ir rejuvenescendo ao longo dos anos. Se não pensou, está imaginando isso neste momento em virtude do magnífico filme de David Fincher, O Curioso Caso de Benjamim Button.

Pessoalmente, concordo com o escritor americano Mark Twain. Se nascêssemos aos 80 anos e fossemos ficando jovens ao passar dos anos, não teríamos que nos preocupar com aposentadoria, rugas, quedas de cabelos, plásticas, doenças da velhice e outros milhares de infortúnios típico deste período da vida. Mas por outro lado, teríamos que conviver com um fator constante: a morte. Imagine você vê amigos e parentes morrendo, enquanto está indo na direção contrária? É, a morte é bastante presente na vida de Benjamim. Mas na sua vida inversa, o amor também está presente em toda a sua existência.

Aos setenta e poucos anos (eu acho) Benjamim encontra o amor de sua vida: Daisy, vivida pela competente Cate Blanchett, mas ela tem apenas 8 anos. É um amor que Button carrega a sua vida inteira, mas apenas em um breve momento de sua vida, eles podem ficar juntos.

Mas até essa fase de "felicidade plena’’ chegar, Benjamim descobre o mundo, entra num bordel, vai trabalhar num barco, conhece uma nadadora que cruza o Canal da Mancha e vai à Guerra. E tudo isso é contado da melhor maneira possível - os 159 minutos de projeção passam despercebidos.

É uma história fascinante, fabulosa, contada por um diretor imensamente talentoso e perfeccionista, Fincher imprime sentimento em cada detalhe, em cada cena, em cada enquadramento, e Brad Pitt, não é mais só um rosto bonito, sua interpretação é madura, firme e capaz de emocionar até uma pedra!

O Curioso Caso de Benjamim Button merece levar pelo menos dez, das treze estatuetas no Oscar no próximo dia 22 de fevereiro. Um filme para ver e rever milhares de vezes, e sempre com um lenço na mão!

100 filmes para ver antes de morrer

Para meu primeiro post e para o leitor conhecer melhor meu gosto cinematográfico, apresento-lhes os 100 FILMES QUE VOCÊ DEVE VER ANTES DE MORRER! Essa lista não inclui filmes de 2009, ainda! Eis o top:


O Sexto Sentido. Dir: M. Night Shyamalan
Matrix. Dir: Wachowski Brothers.
Bruxa de Blair. Dir: Daniel Myrick e Eduardo Sánchez
O Labirinto do Fauno. Dir: Guillermo Del Toro
Na Natureza Selvagem. Dir. Sean Penn
O Nevoeiro. Dir. Frank Darabont
Star Wars – Uma Nova Esperança. Dir. George Lucas
O Senhor dos Anéis – O Retorno do Rei. Dir: Peter Jackson
Batman - O Cavaleiro das Trevas. Dir. Christopher Nolan
O Iluminado. Dir. Stanley Kubrick
Psicose. Dir: Alfred Hitchcock
Fargo. Dir. Irmãos Coen.
A Lista de Schindler. Dir. Steven Spielberg
Ben- Hur. Dir. William Wyler
Corra Lola, Corra. Dir. Tom Tykwer
O Hospedeiro. Dir: Bong Joon-ho
Cabo do Medo. Dir: Martin Scorsese
Moulin Rouge. Dir. Baz Luhmann
Across the universe. Dir: Julie Taymor
Forrest Gump. Dir: Robert Zemeckis
O Senhor dos Anéis – As Duas Torres. Dir: Peter Jackson
Vamos Nessa (Go). Dir: Doug Liman
Tropa de Elite. Dir: José Padilha
Erin Brockovich. Dir: Steven Sodebergh
Uma Linda Mulher. Dir: Garry Marshall.
Curtindo a Vida Adoidado. Dir: John Hughes
Star Wars – O Império Contra ataca. Dir: Irvin Kershner
Simplesmente Amor. Dir: Richard Curtis.
Eclipse Mortal. Dir: David N. Twohy
Voo United 93. dir: Paul Greengrass
O Ultimato Bourne. Dir: Paul Greengrass.
Beleza Americana. Dir: Sam Mendes
O Segredo de Brokeback Mountain. Dir: Ang Lee
Homem Aranha. Dir: Sam Raimi
Quase Famosos. Dir: Cameron Crowe
Magnólia. Dir: Paul Thomas Anderson
Extermínio. Dir: Danny Boyle
Todo Mundo Quase Morto. Dir: Edgar Wright
Segundas Intenções. Dir: Roger Kumble.
Cova Rasa. Dir: Danny Boyle.
Onde os Fracos não tem vez. Dir: Irmãos Coen.
Guerra dos Mundos. Dir: Steven Spielberg
Janela Indiscreta. Dir: Alfred Hitchcock
Sin City A cidade do Pecado. Dir: Robert Rodriguez.
Pulp Fiction. Dir: Quentin Tarantino.
Kill Bill vol. 1 Dir: Quentin Tarantino.
Piratas do Caribe - A Maldição do Pérola Negra. Dir: Gore Verbinski.
A Lenda do Cavaleiro sem Cabeça. Dir: Tim Burton.
Procurando Nemo. Dir: Andrew Stanton
Adaptação. Dir: Spike Jonze
Pânico. dir: Wes Craven.
King Kong. Dir: Peter Jackson.
Os Infiltrados. Dir: Martin Scorsese
O Exterminador do Futuro 2. dir: James Cameron
Titanic. Dir: James Cameron.
Miss Simpatia. Dir: Donald Petrie
Amnésia. Dir: Christopher Nolan.
Gladiador. Dir: Ridley Scott
Laranja Mecãnica. Dir: Stanley Kubrick
JFK A pergunta que não quer calar. Dir: Oliver Stone.
Os Incríveis. Dir: Brad Bird
Psicopata Americano. Dir: Mary Harron
O Grande Truque. Dir: Christopher Nolan.
Closer - Perto Demais. Dir: Mike Nichols
Conta Comigo. Dir:Rob Reiner.
O Senhor dos Anéis – A Sociedade do Anel. Dir: Peter Jackson.
Contatos Imediatos do Terceiro Grau. Dir: Steven Spielberg.
Los Angeles Cidade Proibida. Dir: Curtis Hanson.
Sinais. Dir: M. Night Shiamalan
O Exorcista. Dir. William Friedkin
O Silencio dos Inocentes. Dir: Jonathan Demme
O Show de Truman. Dir: Peter Weir.
Meu Primeiro Amor. Dir: Howard Zieff
Prova Final. Dir: Robert Rodriguez.
O Assassinato de Jesse James, pelo Covarde Robert Ford. Dir: Andrew Dominik.
Chicago, dir: Rob Marshall.
Juventude Transviada. Dir: Nicholas Ray.
Donnie Darko. Dir: Richard Kelly.
Elefante. Dir: Gus Van Sant.
Clube da Luta. Dir: David Fincher
Seven Os sete crimes capitais. Dir : David Fincher.
Entrevista com o Vampiro. Dir: Neil Jordan.
Drácula de Bram Stoker. Dir: Francis Ford Copolla
As Virgens Suicidas. Dir: Sofia Copolla.
A Paixão de Cristo. Dir: Mel Gibson.
Um Sonho de Liberdade. Dir: Frank Darabont
Os Outros. Dir: Alejandro Amenabar.
Os Fantasmas se Divertem. Dir: Tim Burton.
Cloverfield – Monstro. Dir: Matt Reeves.
O Diabo Veste Prada. Dir: David Frankel.
Boogie Nights – Prazer sem Limites. Dir: Paul Thomas Anderson.
Napoleão Dynamite. Dir: Jared Hess.
Gattaca – Experiência Genética. Dir: Andrew Niccol.
Harry Potter e a Ordem de Fênix. Dir: David Yates.
A Vida em Preto e Branco. Dir : Gary Ross.
Menina de Ouro. Dir: Clint Eastwood.
V de Vingança. Dir: James Mcteigue.
Jurassic Park. Dir: Steven Spielberg.
Querida Wendy. Dir: Thomas Wintenberg.
Dogville. Dir: Lars Von Trier.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...