Páginas

25 de outubro de 2014

Please Like Me - A versão gay e agridoce da juventude




Em 2013, a série australiana Please Like Me foi eleita por mim e muitos críticos pelo mundo como uma das melhores séries daquele ano, a dramédia então foi renovada para a segunda temporada, que terminou há algumas semanas, e a série agridoce e muito engraçada sobre jovens de 20 e poucos anos continua sendo uma das melhores coisas da TV em exibição no momento.

Se você curte seriados e nunca viu Please Like Me, - seja qual for o motivo, ele é injustificável - a primeira temporada tem apenas seis episódios de meia hora, você pode maratonar em algumas horas tranquilamente. Só pra atiçar a sua curiosidade, aqui vai um pequeno fragmento do que acontece nos primeiros capítulos: Josh, personagem principal, é abandonado pela namorada que diz pra ele: “Você é gay!”, mesmo custando um pouco para se aceitar, logo Josh beija um homem pela primeira vez mas tenta esconder sua sexualidade - não por muito tempo - e ainda recebe a notícia que sua mãe tentou se suicidar, isso, bem no dia de seu aniversário. Bem, se esta premissa não atraiu a sua atenção, você tem problemas. Mas, continue a leitura.

 Josh na piscina com os amigos 

Please Like Me foi criada, e é roteirizada e protagonizada por Josh Thomas, cujo personagem principal leva o seu nome mesmo, já que a série é baseada em estranhas experiências da sua vida. A maior qualidade da série é abordar temas tabus e delicados como suicídio, homossexualismo, relacionamentos na terceira idade e depressão, através de um olhar bem humorado, divertido, sempre com muita ironia e sagacidade.
 
O programa é exibido pelo canal americano Pivot, também coprodutor da série e recentemente chegou ao fim a sua segunda temporada, composta de agradáveis 10 episódios.  A segunda temporada começou com uma festa e terminou em um clima melancólico. Nesse meio tempo, Josh arrumou um “amigo com benefícios” e tentou namorar outro com problemas psicológicos, enquanto isso, a divertida Rose (Debra Lawrance), sua mãe, ficou internada numa clínica psiquiátrica e fez muitas amizades por lá. Já Tom (Thomas Ward), melhor amigo de Josh, foi dispensado por suas garotas e entrou em depressão. Bem, claro que acontece muito mais, mas não vou dar detalhes, tenho bom senso.

  Josh e sua mãe:  no melhor episódio da temporada



 O humor irreverente e ácido da série representado pelos diálogos idealizados por Josh Thomas é o maior trunfo de Please Like Me, as conversas diárias entre Josh e outros personagens são sempre o ponto alto dos episódios, são diálogos engraçadíssimos, sarcásticos e inteligentes. Separei algumas frases disparadas na série nesta segunda temporada:

“Há opiniões demais hoje em dia, Josh. Parece que todos acham que precisam opinar”.  Rose

“Outro dia, um político cristão disse que Deus enviou a AIDS para matar os gays....Na verdade, fico surpreso porque Ele não arranjou um plano melhor que a AIDS, não é muito eficiente, mata muitos africanos.” Josh

“Às vezes acho que eu seria mais feliz se gostasse de fazer sexo com prostitutas”. Tom

“Por que está ouvindo música triste? Deveria estar ouvindo música alegre, como Beyoncé. Sempre Beyoncé”. Josh

 Finalmente Josh tem um namorado. Ou não!

Outro aspecto a destacar em Please Like Me, e que a aproxima muito da série da HBO, Looking, é a forma realista que se trata os assuntos e os próprios personagens, são todos imperfeitos e suas vidas mais imperfeitas ainda. As reações e ações de Josh e seus amigos condizem corretamente com as pessoas que conhecemos na vida real. Josh, por exemplo, é muito inseguro, não acredita que alguém possa gostar dele ou queira namorar com ele, e isso nos irrita, mas ele também faz a gente morrer de rir, como no momento em que ele está preso no trânsito e precisa fazer xixi o mais rápido possível. Será que ele faz no carro? Ah, não conto. 

É por serem tão imperfeitos que rapidamente nos afeiçoamos ao Josh com seu sotaque peculiar e seus trejeitos estranhos e aos outros personagens. Please Like Me é simples e genial, muito bem escrita e produzida, tem uma trilha sonora descolada, situações hilárias e outras tão “reais” que não é difícil a gente se identificar com esse universo que mostra um grupo de jovens ainda perdidos na vida, e que fazem o máximo para adiar a vida adulta. Bom, nem preciso dizer que Please Like Me é uma série obrigatória para quem curte um drama, uma comédia, uma boa história e personagens cativantes.

A série foi renovada para a terceira temporada. Todos comemoram!

NOTA: 10,0

Veja também:





5 comentários:

  1. Amei encontrar alguém falando sobre essa série maravilhosa! Adorei o seu blog e através dessa postagem conheci Looking que também amei. Você teria mais dicas de séries gays que sejam nesse "estilo"?
    Valeeeu!

    ResponderExcluir
  2. Oi, que bom gostou do blog, e eu amo essa série. Olha, series totalmente gays estão em falta, Looking foi cancelada infelizmente, mas ano passado eu escrevi sobre uma série britânica gay e muito ousada, e muito boa, chamada Banana. Link aqui: http://cinemidade.blogspot.com.br/2015/03/banana-serie-que-celebra-o-amor-e-o-sexo-sem-rotulos.html

    Acho que vc vai gostar dessa série. ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Heey valeu pela recomendação!
      Acabei de assistir o terceiro EP e estou amando! Muito gostosa de assistir.
      Obrigado demais!

      Excluir
    2. Você sabe se haverá uma quarta temporada de Please Like Me? :(

      Excluir
  3. Oi , como vai? Imagina, adoro recomendar series e filmes hehe, ah, por enquanto, não foi confirmada uma 4 temporada. abraços

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...