Páginas

4 de dezembro de 2012

TAKEN - Uma minissérie imperdível!



Uma das melhores produções de Steven Spielberg completa 10 anos este mês, desde a sua estreia no canal HBO em 2002. Taken, a minissérie épica de 10 capítulos de quase uma hora e meia cada episódio, explora dois temas bastantes familiares para Spielberg, os extraterrestres e a Segunda Guerra Mundial.  A produção é uma mescla de trabalhos anteriores do produtor como E.T. e Contatos Imediatos do Terceiro Grau e as minisséries de guerra Band of Brothers e The Pacific, o resultado que sai dessa mistura toda é fascinante, um drama scifi complexo, bem escrito, adulto, admirável a cada cena.

Taken começa com aviões em um combate em plena Segunda Guerra Mundial. Os pilotos estão em uma batalha aérea quando uma luz forte e brilhante envolve todos os tripulantes. Os homens despertam dias -  ou meses -  depois do “evento”, mas nada lembram. Eles foram “abduzidos”. Com dores de cabeça, pesadelos terríveis e paranoia, as vidas desses soldados sobreviventes estarão comprometidas pelo resto de seus dias.

Eles chegaram...

Os acontecimentos na minissérie começam em 1945 e se estendem até a década de 2000, as abduções alienígenas vão influenciar três famílias e várias gerações das mesmas. Logo, não é anormal se você ficar confuso e não saber quem é o avô de quem, é mesmo uma cadeia complexa e por isso Taken merece atenção especial, para você não se perder quando a história estiver lá nos anos 90. Dakota Fanning, com sua voz angelical de criança, é quem narra os acontecimentos e também uma personagem essencial na trama.

Dakora Fanning cede sua fofura e talento à produção

A (suposta) queda de uma espaçonave em Roswell em 1947 –  você já ouviu falar dessa história de conspiração né? – também é abordada aqui. É nesta narrativa que somos apresentados a um dos personagens mais importantes e detestáveis da minissérie, o Capitão Owen Crawford (Joel Gretsch, em atuação brilhante. O ator ainda protagonizou a interessante série The 4400). Owen é ambicioso e não aceita nada e nem ninguém em seu caminho, não por acaso, é dele as cenas mais tensas e chocantes da produção.

Taken possui características semelhantes do clássico Contatos Imediatos do Terceiro Grau, como as luzes azuladas das espaçonaves e os tais alienígenas, são típicos de Steven Spielberg, "bonzinhos", indefesos, as vilanias ficam a cargo dos humanos, com sua ambição desmedida  e sede de poder.

Joel interpreta um dos vilões mais inescrupulosos da TV

Esta ficção científica ganhou naquele ano o prêmio Emmy de Melhor Minissérie, uma prova incontestável de que Spielberg só produz séries boas e de qualidade para a HBO - canal que faz questão que suas produções sejam autênticas, ousadas e bem feitas - e  eu me refiro à qualidade nos quesitos técnicos e também no roteiro, Falling Skies e Terra Nova, recentes empreitadas do diretor,  são produções vergonhosas perto desta.

Taken já tem mais de dez anos, mas continua uma produção de TV de primeira linha, uma das melhores produções do gênero da história, sem exageros. Já revi a minissérie incontáveis vezes, sempre que a assisto ainda me surpreendo com a história intrincada e realista, me sensibilizo com os dramas psicológicos dos personagens, me assombro com as cenas fortes e violentas, me emociono com a menina Allie (Fanning). Assim como Twin Peaks, Taken nunca será esquecida, a produção de qualidade do canal HBO é um orgulho para o gênero da ficção científica. Spielberg acredita em vida extraterrestre e eu também.

Assista ao trailer:



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...