Páginas

2 de maio de 2013

Homem de Ferro 3




Os Vingadores me deixou mal acostumado, o filme de Joss Whedon é tão perfeito e surpreendente que me deixou com altíssimas expectativas acerca dos futuros filmes de super-heróis da Marvel. Pensava comigo, serão os próximos longas tão bons quanto o arrasa-quarteirão de 2012? Então, Homem de Ferro 3 (Iron Man 3, 2013) estreou, é o primeiro filme pós-Vingadores, vem com a responsabilidade de ser perfeito – em todos os sentidos – assim como foi a aventura da reunião dos heróis da Marvel, mas infelizmente, a nova empreitada do homem de lata além de não ser o melhor filme da trilogia é muito inferior a Os Vingadores. Uma pena.

Aos fãs mais xiitas do herói gostaria de ressaltar, essa não é uma crítica negativa, pretendo mostrar os pontos positivos e negativos da fita, na minha opinião. Vou começar pelas falhas de Homem de Ferro 3. Bom, eu já esperava mudanças na saga quando Jon Favreau, que dirigiu os dois ótimos primeiros filmes, anunciou que deixaria a direção para um outro cineasta. Shane Black então assumiu a terceira parte, o cara é escritor, produtor e tem apenas um filme no currículo como diretor, o bacana Beijos e Tiros. Não sei por que ele foi escolhido...


Stark e  seu exército de ferro.

Com um diretor diferente, a mudança de tom era algo esperado, embora Shane tenha se esforçado para manter o senso de humor na sequência -  ainda assim há momentos cômicos bem forçados - é na cenas de ação que o diretor erra a mão. As cenas da destruição da casa de Tony Stark e o salvamento aéreo empolgam, porém, os momentos finais, principalmente a batalha final, aquela sensação de déjà vu se apoderou de minha pessoa. Ah por favor né, cena de ação ambientada em um avião com o presidente dos EUA e em locais portuários, já vi em dezenas de filmes. Quanta falta de originalidade. Faltou ousadia de Shane na execução das cenas e sobrou desleixo por conta dos roteiristas.

O roteiro falho, com a inclusão da subtrama com um garotinho que fica amigo de Tony, simplesmente não se encaixa muito bem na trama principal,  mesmo que os diálogos afiados entre Tony e o menino renda alguns bons momentos. O mau aproveitamento dos novos personagens interpretados por Rebecca Hall e Guy Pearce é outra questão a destacar. Aliás, Pearce está virando expert na vilania, viram ele arrasando em Os Infratores? Obra cinematográfica obrigatória lançada ano passado. Pearce e Hall ficam tão pouco tempo em cena que nem dá tempo de nos importarmos com seus personagens, tornando-os superficiais, assim como os seus motivos de destruir Stark e blá blá blá.

Química: o melhor de HF3 são Pepper e Tony


O melhor de Homem de Ferro 3? Ah, continua sendo Robert Downey Jr e o peculiar senso de humor de Tony Stark.  É do Tony, e não do super-herói, os melhores momentos da sequência. Outro ponto positivo é a maior participação em cena da querida Pepper, papel de Gwyneth Paltrow. A Sra. Potts  esbanja simpatia e tem uma química com Robert que é inigualável. É sempre bom vê-los juntos, melhor que as cenas explosivas e a correria. A escolha de Ben Kingsley como o vilão Mandarin foi acertada, e até que eu curti a reviravolta, um tanto inusitada, envolvendo o seu personagem.

A temporada de blockbusters começou, Homem de Ferro 3 deu o pontapé inicial, infelizmente o seu trailer empolgou mais que o filme em si, mas a  produção está longe de ser ruim,  tem mais  falhas do que deveria, no entanto, a nova aventura é divertida, engraçada, e  tem Stark, o herói mais humano e carismático que todo o time de Os Vingadores juntos.

NOTA: 7,0

6 comentários:

  1. A conclusão do seu post é a mais pura verdade! Principalmente a última linha. Show!

    abraço

    ResponderExcluir
  2. Nossa, senti exatamente a mesma coisa, espero que o The Avengers não faça com que TODOS os filmes da Marvel sejam inferiores.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é GABRIEL, é meu medo tbm, hehee. abraço.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...