Páginas

21 de abril de 2016

The Guest – um suspense cheio de charme




É muito reconfortante quando descobrimos obras cinematográficas que se destacam pela originalidade ou trazem um certo “frescor” a gêneros muito suscetíveis a clichês, como o suspense e os filmes de ação, isso nos faz pensar que as melhores histórias não estão nas superproduções, mas no cinema independente, em pequenas obras-primas que quase ninguém viu. The Guest (2014), por exemplo, é uma dessas pérolas imperdíveis e surpreendentes, nunca foi lançada no Brasil e nem tem título em português.


Com direção de Adam Wingard, responsável pelos filmes de terror Você é o próximo e V/H/S, The Guest é uma mistura de filme de ação, suspense e ainda “pega emprestado” a atmosfera das obras de terror dos anos 80 para contar uma história que te seduz do início ao fim.




Dan Stevens (da série Downton Abbey e que logo viverá a Fera, com a Bela Emma Watson) vive o anti-herói da história, ele é David, o “convidado” que chega à casa da família Peterson, afirmando ser um grande amigo do filho que morreu em combate no Iraque, e que seu propósito é ajudar a família no que for preciso. 

Logo todos se rendem ao charme, sorriso e voz sussurrante do “estranho perfeito”, e David realmente começa a ajudar a família, de um meio torto e com métodos duvidosos, nos pequenos problemas que surgem, principalmente com Luke, filho mais novo e vítima de bullying no colégio. O garoto vislumbra em David a figura de um herói,  mas a filha Anna Peterson (Maika Monroe, de Corrente do Mal) desconfia do moço, apesar de demonstrar uma “leve”  queda pelo rapaz – a cena em que ela o vê de toalha saindo do banheiro é hilária.


A força do filme está na atuação comprometida de Dan Stevens, é muito fácil se encantar com o seu charme, em um momento, e no outro, se assustar quando o seu lado “violento” aflora, e Stevens encarna bem essa dualidade do personagem, imprevisível e irresistível, o protagonista nos deixa sempre desconfiados, tornando difícil prever o seu próximo passo.



Outra qualidade de The Guest é a trilha sonora vintage e repleta de sintetizadores, uma forma do diretor de homenagear o cinema oitentista, a referência aos filmes de suspense dos anos 80 fica mais explícita no clímax, sensacional e psicodélico, vale ressaltar.


Se você anseia por um cinema revigorado, longe do mainstream, The Guest é uma boa sugestão, divertido, nostálgico, com uma história bem contada, original e charmosa, além disso, mostra Adam Wingard bem à vontade atrás das câmeras fazendo algo que ultrapassa a barreira do gênero terror, o qual ele está mais familiarizado. 

Veja o trailer!




NOTA: 9,5

Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...